fugir dos clichês

Como fugir dos clichês usando a criatividade

3 de dezembro de 2018 0 Por Bolha Criativa
Tempo de leitura: 2 minutos

Fugir dos clichês não é uma coisa muito complicada, sabia?

Bom, vamos começar com uma história de amor. Uma mulher pobre, mas de bom coração, conhece o homem perfeito (rico, obviamente) e os dois se apaixonam.

Como ele é um rico empresário, a mãe dele proíbe esse relacionamento, mas não vendo que suas opiniões têm muita eficácia, a futura sogra começa um plano para acabar com o amor dos dois.

Nem preciso dizer que depois de muitas farpas e confusões, tudo fica bem. Ou a vilã é obrigada a aceitar esse relacionamento ou ela acaba aprendendo com os erros.

Quantas histórias você já não conhece que começa exatamente assim? Sem dúvida, é um clichê. Eu poderia citar um monte de exemplos, mas acho que você já entendeu. Para quem está escrevendo a história de um livro, muito se ouve que devemos evitar os clichês, porque nós já vimos essa história antes. Só que sabemos que não é tão fácil criar algo 100% original. Há quem diga que todas as histórias já foram contadas. Mas será que foram mesmo?

Vamos fugir dos clichês?

Aprendemos no Bolha Criativa que para aumentar nossas inspirações, podemos conhecer as obras relacionadas com o assunto que estamos trabalhando. Nesse caso, provavelmente você irá pegar algum elemento da história original e transformar na sua.

Pode ser que sua história não seja um clichê, mas é difícil fugir dos clichês. E ser um clichê é ruim? Claro que não! Na verdade, a maior forma de evitar os clichês não é inventando a roda e sim, trabalhar os clichês de forma diferente. O segredo não é o que você vai escrever, e sim, como você vai escrever.

Voltamos ao exemplo inicial. Aparentemente, a história da mulher pobre é uma comédia romântica tradicional. E se, na realidade, no final da história descobrimos que tudo que a sogra falou desde o início do livro era verdade? E se a mulher realmente queria ficar apenas com o dinheiro do cara, mas enganou todo mundo desde o princípio? E se a verdadeira mocinha da história fosse a sogra? Mas e se a sogra tinha inventado tudo mesmo e na última cena descobre que era tudo verdade?

Com isso, você cria uma quebra de expectativa. A história parecia que ia para um lugar, mas no final levou a um lugar completamente diferente. Esta é apenas uma maneira de modificar o clichê. Faça questionamentos para si mesmo enquanto está escrevendo, imagine conflitos e situações. Assim você sempre estará inspirado para brincar com as expectativas do público.

Se você quer algumas dicas de como fugir dos clichês literários modernos, veja este artigo. E se quer rir um pouco com os clichês, acompanhe a série do Bolha Criativa.

E você? Tem mais alguma dica para evitar os clichês? Fala aí nos comentários!

 

 

 

Compartilhe por aí!
error