Afinal, o que define uma boa adaptação literária?

21 de dezembro de 2018 0 Por Bolha Criativa
Tempo de leitura: 2 minutos

O cinema em geral sempre teve adaptações, seja de livros, histórias em quadrinhos, até peça de teatro. E como leitor, sempre esperamos que nosso livro favorito vá para as telonas, nossos personagens se transformam em carne e osso e nossas emoções são manipuladas com todas as técnicas que a sétima arte oferece.

Porém, o que define uma boa adaptação? Sejamos sinceros: no fundo do nosso coração, consideramos que uma adaptação boa é aquela mais fiel possível à história do autor. É muito gratificante ver todas as páginas (ou ao menos a maioria) todos os diálogos e todas as situações idênticas no livro e no filme. Concorda?

Bem, na verdade não. Por mais que nosso desejo sempre busca a fidelidade, na prática não é bem assim que funciona. Como bem deve saber, cinema e literatura são artes completamente diferentes. Algumas coisas funcionam para um, outras para outro. Nesse caso, podemos considerar que uma boa adaptação nada mais é do que uma obra que respeita o material original.

Sou defensor de bons filmes, assim como defensor de bons livros. E o filme nada mais é do que uma forma diferente de contar a mesma história do livro, que geralmente possui a visão do próprio autor. Já no filme, além do roteirista, que irá encontrar o melhor ponto para adaptar a partir do material original, existe o diretor e o próprio elenco que dará vida aos personagem. Cada um pode ter uma visão particular de seu pedacinho daquela história, o que acaba elevando o enredo a outro patamar.

Isso significa que fico muito feliz quando um filme modifica a história do filme e o apresenta de forma diferente, talvez até alterando algumas partes fundamentais. Talvez as mudanças superem os livros (muitas vezes temos que deixar o orgulho de lado e dizer que o filme melhorou vários pontos do livro) ou então o enredo fique lado a lado com a adaptação.

Isso torna bem mais instigante ler o material fonte depois de assistir ao filme ou vice-e-versa. Se tiverem mudanças significativas, ler o livro depois pode ser uma experiência tão surpreendente e imprevisível quanto assistir o filme pela primeira vez. E mesmo que as histórias sejam parecidas, cada obra complementa a outra.

Então, não fique triste se seu livro favorito não for a adaptação mais fiel. Se transformar a história em um filme ótimo, já valeu a pena e muito. Infelizmente não posso dizer que mudanças sempre são boas. Há inúmeros filmes ruins que seriam ótimos se ao menos seguissem o livro, mas com certeza você gosta de alguma adaptação que respeita a obra original. Essa é a minha resposta.

E o que acha? Não deixe de participar dos comentários e citar suas adaptações favoritas ou… As piores!

Compartilhe por aí!
error